quarta-feira, 30 de julho de 2014

Esquecer


Qualquer esquecer é temporário, você pode esquecer de fazer uma lição, esquecer de fazer aquilo que a sua mãe mandou, você pode esquecer até de colocar a roupa para lavar. Mas uma hora ou outra, você vai acabar lembrando que esqueceu. Vai dar por falta, vai voltar para buscar. Por isso, acredito que esquecer alguém talvez não seja possível, nunca vai acontecer.

Você pode esquecer durante uma conversa, ou quando está assistindo um filme, você pode esquecer quando está beijando outra pessoa... Mas depois, minutos, horas ou anos depois, alguma coisa vai te fazer lembrar. A vontade pode diminuir, as piadas que antes pareciam hilárias, podem não fazer mais sentido. A saudade pode desaparecer como se nunca tivesse existido.

Esquecer? Não da. Não se pode esquecer o que já conheceu, já sentiu ou gostou. Entendem o que quero dizer? Todo esquecer é temporário, ele só dura até lembrar outra vez.



quarta-feira, 23 de julho de 2014

Amor


Encostei minha cabeça na dele, senti nossas mãos se entrelaçarem e suspirei. Se eu pudesse eternizar um momento da minha vida, seria aquele. O seu toque era tão doce e terno, era um gesto tão simples, mas com tantos significados, era um sentimento único mas inevitável. Percebi que ficaria viciada nele, que minha vida se resumiria nisso, e que cada segundo sem ele na minha vida seria cada segundo mais próximo da morte. 

Ele me olhou profundamente, era como se algo estivesse entrando no meu coração, mas algo bom.

-Você sabe que eu te amo, não é? -Ele sussurrou no meu ouvido me fazendo sentir um arrepio.

-Sempre soube. -Falo me aproximando e dando um beijo doce e calmo.

Todos os nossos sentimentos se passaram pelo beijo, desde os nossos medos, até os nossos sonhos e desejos. Comecei a imaginar um futuro só nosso, e que em algum dia seria completado por mais pessoas, imaginei um casamento, filhos, contas para pagar, felicidade, responsabilidade, mas acima de tudo o amor.



sábado, 12 de julho de 2014

Ponte


Caminho pela rua larga porém, para mim, estreita. Meu sapato faz barulho quando ando, mas essa calçada deformada e mal feita não contribui. Era horrível. Tudo o que eu olhava me desanimava, cada lugar da cidade me lembrava de momentos que tive com ele. 


Era como se eu não conseguisse respirar de tanto que meu pulmões doíam. Tinha chorado por um mês, mas justo hoje resolvi sair, justo hoje quis me lembrar do nosso momento naquela ponte, na verdade, acabar com tudo. As palavras dele rodeavam todos os cantos dos meus pensamentos, sua feição e seus olhos pareciam me condenar, mas tudo aquilo ainda não tinha sido jogado nas águas.


Deixei uma carta no correio para ele, disse todas as promessas que fizemos, mas que finalmente seriam jogadas. Eu o amo. Ele me ama. Mas chega uma hora que tudo volta a ser aquela folha branca, o papel que tinha uma vida escrita e desenhada, hoje não passa de um monte de trapos rasgados e jogados no lixo. 

Olho a ponte, lágrimas pesadas e quentes escorrem pelo meu rosto, é incrível como tudo parece negro, como a vontade de desistir é grande e como todas as coisas que ele disse não significam nada. Ele prometeu que ficaria comigo todos os dias, que cuidaria de mim e me confortaria quando eu precisasse. Prometeu que quando eu sentisse dor me faria rir e sentir apenas felicidade. Mas não foi isso. Ele apenas me deu dor.


Respiro fundo olhando o rio, minha vontade é de ir até a sua casa pra tentar me redimir, mas eu quero acabar com tudo isso. Tenho que ser forte e acabar. Subo no parapeito da ponte e olho novamente o rio que parece furioso ou com vontade de me acolher. 

Pulo e a partir dai só Deus sabe o que vai acontecer. Pela correnteza serei levada. Mas nela, deixo toda a minha decepção, toda a minha fúria por uma pessoa que parecia, mas que jamais me amou.


segunda-feira, 7 de julho de 2014

This Is Me

Textinhos... Essa é a minha fuga, o meu universo em que posso falar, pensar e agir como eu gostaria. É o único jeito que posso expressar os meus sentimentos. Meus textos são como um portal, quando começo posso estar em Nova York, e quando acabo posso estar no sítio da minha avó.

Meu nome é Yasmin, mas podem me chamar de Yas, tenho 13 anos, mas posso dizer que aparento ter menos. Admito que sou viciada em música, e não consigo ver um mundo sem ela, mas não existe nada que eu ame mais do que livros.

Criei o meu primeiro blog quando era bem pequenininha, e há quatro meses atrás criei um novo. Infelizmente Não estive me sentindo bem, portanto, criei o Manias de Uma Guria, não tenho em mente o que espero dele, mas acredito que será o meu "melhor amigo" para os piores momentos da minha vida.

Pode ser que eu acrescente algumas coisas com o tempo, e que eu vá mudando meu estilo, mas não se preocupem, eu escrevo conforme os meus sentimentos, e muitos deles é porque eu acabei de ler um livro, ou porque fui mal em algo, nada tão dramático, mas é isso que me dá inspiração.

Espero conseguir encontrar o que procuro e, ao mesmo tempo, espero que gostem dos meus textinhos.

"E de repente algo inesperado passa a ser o motivo do seu sorriso.".